domingo, 30 de dezembro de 2012

Rurouni Kenshin Live Action



O tão esperado live action de Rurouni Kenshin, conhecido como Samurai X recentemente foi disponibilizado para download para a alegria dos fãs brasileiros que estavam contando animadamente os dias para poderem assistir a este super lançamento, já que não foi rodado nas telonas do país.
No entanto, o que poderia ter sido o melhor live action de todos os tempos acabou sendo uma vítima do Bakumatsu, já que o mangá e o anime foram totalmente retalhados e depois remendados em uma (falta de) lógica nova e diferente.



Para dar uma ideia da mistura que fizeram no live action, o falso Hitokiri Battousai no anime é Jin-e, que é um dos capangas de Kanryu. Quem assistiu o anime sabe muito bem que Jin-e é um dos espadachins que, com o término da era das espadas, ficou sem lugar e que não aceitou ser capanga do governo ou dos mercenários, logo esse se tornou o primeiro grande pecado do filme, pois distorceu um princípio interessante da história original.
Falando no Kanryu, ele é uma personagem interessante, ganancioso, mesquinho, violento e egoísta, foi muito bem interpretado, apesar de que seu visual puxa um pouco para a comédia (Kamikaze Girls e Lovely Complex tem personagens com praticamente a mesma aparência e só estão lá para fazer graça) talvez para aumentar ainda mais a visão de "dinheiro é tudo" que ele possui.
Saito, que no anime aparece apenas quando precisa levar Kenshin para a luta contra Shishio em Kyoto, aparece logo no começo, tirando o elemento surpresa que foi proporcionado no anime por causa de sua súbita aparição mas, apesar disso, ele é um dos personagens mais fieis ao original e, diga-se de passagem, o que melhor se adequou ao estilo dele e que não deixou dúvida alguma sobre ele.



Outra personagem que foi muito bem interpretada foi Kaoru, que teve vários momentos de "glória" tanto quando ela tenta lutar com Jin-e para salvar a honra de seu dojo quanto no momento em que ela acaba vencendo o genjutsu dele e pede para Kenshin não matá-lo. A boa performance da atriz nesta cena fez com que ela fosse mais tocante do que a do anime, mostrando que, apesar de todas as pérolas que o filme conseguiu fazer, fizeram o grande favor de colocar uma ou outra coisa realmente notável nele que não fosse uma grande saroba.


Por causa da alteração da história que deixa Megumi cara a cara com a responsabilidade de ter produzido ópio não só com Yahiko, mas com o sofrimento de toda uma vila, sua determinação de se redimir se mostrou ainda mais forte e isso trouxe outra cena que conseguiu ser melhor no filme: Megumi tentando matar Kanryu.



Yahiko, infelizmente, perdeu boa parte do destaque que poderia ter quando foram tiradas cenas de quando ele conhece Kenshin e Kaoru e de quando ele vai junto com o grupo enfrentar Kanryu. Isso foi realmente uma perda, pois foi muito bem interpretado. Bem, se tiver segunda parte, podemos então esperar uma grande luta dele contra o Juppongatana alado, isto é, se não fizerem o imenso favor de picotar essa cena também.


Sanosuke foi outro que teve a história e princípios retalhados no filme. Nada da história do kanji de "mau" nas suas costas, nada de falarem sobre a Sekihoutai e sobre o capitão Sagara, então, nem uma palavrinha sequer. Ele então foi reduzido a um simples brigão, praticamente um rebelde sem causa, o que tirou da luta dele com Kenshin grande parte, senão toda, da emoção que era esperada. Mas, pelo menos, uma coisa do Sanosuke do filme foi boa e rendeu muitas risadas quando ele pausou uma luta que estava tendo para comer e beber.



 Se pensam que já viram demais sobre as adoráveis falhas deste filme, preparem-se porque o pior ainda está por vir. Além de distorcer a parte de Kanryu para enfiarem um monte de detalhes do que passou antes e depois nela, fizeram o favor de detonar a parte original. Quem esperava ver o Aoshi e os membros da Oniwanbashuu se preparem para verem moscas, porque o jovem comandante mal aparece e o grupo dos cinco ninjas foi reduzido a dois, destes vou falar apenas do Hanya. Primeiro, é o Hanya mesmo? Colocaram um loiro que luta com espadas e armas de fogo, o que fugiu totalmente com o original. E, pensando um pouco, ele tem o jeito de falar do Aoshi (querer ser mais forte) e o cabelo e o uso de armas de fogo do Enishi. Estranho, não?
Com a ausência da Oniwanbashuu completa do live action, foi-se uma das cenas que poderia até mesmo arrancar lágrimas dos fãs que, logicamente, é o sacrifício dos membros em prol de seu líder. Além disso, se tiver continuação, os fãs já devem estar avisados que será tão ruim quanto a primeira parte, pois tiraram personagens centrais e bagunçaram bastante com os que deixaram.



E por último vamos falar do andarilho mais adorável que conhecemos, Kenshin. Contou com uma boa interpretação e com alguém que conseguiu fazer jus à aparência afeminada que ele originalmente tem no anime, seria esquisito se encontrassem um machão para interpretá-lo, mas pelo menos nisso eles pensaram (na verdade não tenho reclamações sobre a escolha do elenco de um modo geral).  O único problema foi que algumas cenas onde aparecem os pequenos distúrbios psicológicos do Kenshin pareceram muito forçados e isso prejudicou um pouco, mas pouco mesmo.
O pior de tudo foi o "okaerinassai" que a Kaoru deu no final do filme quando na verdade ela fala depois que ele derrota Shishio mas que nessa cena perde todo o valor.
Quanto às lutas, apesar de terem sido praticamente alteradas por completo, o live action teve grandes momentos de surpresa e adrenalina, o que reforça que a escolha do elenco realmente foi interessante. Se  alguém assistir em busca de ver lutas legais e não estiver pregado à história, até que será um bom filme para se ver.



Em suma, o filme não chega nem aos pés do mangá ou do anime, realmente foi uma bagunça total que mostrou até mesmo certo descaso com a história original, me pergunto se quem montou o enredo realmente assistiu/leu a história ou cansou e começou a folhear e pegar trechos aleatórios para remendar em um só. Isso chega a ser até um pouco triste, porque com um pouco mais de esforço, poderiam transformar as duas horas de duração do live action em algo à altura do que os fãs merecem ver.

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

1. Kikyou (InuYasha)

Bem, pessoas, resolvi deixar um marcador no blog para os cosplays e projetos que estou fazendo. Para começar com o pé direito, deixarei aqui algumas fotos do primeiro cosplay que fiz: Kikyou - InuYasha.

A personagem



Kikyou é a miko (sacerdotisa) principal de sua aldeia e foi encarregada de cuidar da Shikon no Tama (Joia de Quatro Almas) que dava poderes ao youkai (demônio) que a possuía. Isso causou ódio de muitos desses youkais e a ambição do hanyou (meio-youkai) InuYasha mas ela acaba percebendo que não pode matá-lo e uma amizade acaba surgindo entre os dois e logo depois um sentimento maior, o amor.
No entanto, há obstáculos poderosos no caminho dos dois. A miko das sombras Tsubaki havia lançado uma maldição em Kikyou, dizendo que se ela se apaixonasse, poderia sofrer uma morte horrível. A segunda é a ambição e obsessão do bandido Onigumo que queria mais poder e Kikyou para si. Onigumo se funde aos youkais e dali nasce Naraku que, em vez de tomar Kikyou para si, a engana, ao se disfarçar de InuYasha, e causa um ferimento no ombro que lhe é fatal, mas antes disso ela lacra InuYasha na Goshinboku (Árvore Sagrada) que fez com que ele adormecesse sem sua pele ser deteriorada. Kikyou leva a Shikon no Tama para o mundo dos mortos ao ser cremada.
 Cinquenta anos depois ela é obrigada a voltar ao mundo terreno, mas desta vez em um corpo de barro. Ela reencontra InuYasha que foi libertado do lacre pela reencarnação de Kikyou, Kagome e começa a lutar sozinha para acabar com Naraku e destruir de uma vez a Shikon no Tama, no entanto, toda vez que ela vê InuYasha, fica dividida entre o forte ódio e o grande amor que ela sente ainda por ele.

O Cosplay








É uma pena que, como eu tinha feito franja no dia anterior, ela tenha ficado estranha (sim, aquele cabelão é natural) mas mesmo assim foi maravilhoso, especialmente por ela ser minha personagem favorita e ser muito parecida comigo em personalidade e, na época, na aparência também.
Meu principal projeto cosplay é deixar meu cabelo crescer de novo para poder fazer o cosplay dela novamente, agora como cosplayer mais amadurecida, pretendo deixá-lo idêntico, sem falha alguma.

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

A continuação da franquia de terror japonesa Ringu.

Desculpem a demora de postar, estive ocupada com a faculdade e com a dança do ventre (depois faço um post sobre, por enquanto ficarei em silêncio sobre isso). Enfim, como prometido aqui está o post sobre o filme Sadako 3D que assisti recentemente, infelizmente ainda não tem legenda em português mas mesmo assim vocês podem ficar por dentro lendo o post e assistindo. Vamos lá!

Sadako 3D



"Você e eu somos iguais" (Sadako)




Um vídeo na internet difícil de ser encontrado mostra um rapaz misterioso falando sobre a ressurreição de S e a erradicação da humanidade, é assim que a maldição se espalha. Quem assiste logo depois ouve uma voz dizendo  "Não é você" e é levado por Sadako, como ninguém sabe desse plano, há a especulação de que é um simples suicídio, no entanto Ayukawa Akane, uma professora colegial, descobre que não é tão simples assim, que é o vídeo que está causando a morte dessas pessoas e, assim, começa desesperadamente a tentar proteger as pessoas ao seu redor ameaçadas por Sadako. 
Sadako está para ressurgir, no entanto falta um pequeno detalhe: um avatar e então começa a perseguição pois a escolhida para isso é Akane que começa a ser perseguida aonde quer que vá. Nessa perseguição Akane acaba perdendo a pessoa mais preciosa para ela: Ando Takanori . Agora Akane precisa fazer seu melhor para acabar com a maldição de Sadako, encontrar e recuperar Takanori e salvar sua vida. 

Um olhar sobre Sadako 3D


Como sempre os japoneses deixam a desejar no desenvolvimento de alguns fatos e das razões para manter a objetividade de seus filmes, mas isso compromete o todo desse filme, por exemplo o vilão Kiyoshi Kashiwada (aquele que está tentando reviver Sadako) que, por mais importante que seja na história, é um personagem que não é bem desenvolvido e que, por isso, passa a ser alguém doido que só está tentando sem razão reviver Sadako para que ela erradique a humanidade, ele fica parecendo um rebelde sem causa. 
Outro ponto fraquíssimo da história é a forma que Sadako fica quando Akane encontra o poço e sua (falta de) força e inteligência. Essa Sadako (ainda sem o corpo que a hospedará) é afastada daquela que conhecemos nos primeiros dois filmes (uma garota com cabelo escondendo a face) e muito mais da face humana dela. Isso mais prejudicou do que ajudou na questão de assustar e até mesmo de causar horror. Sua forma "grilesca" acaba sendo cômica. Além disso, na cena em que ela persegue Akane, Sadako(aliás, seus kage bushin no jutsu/hahaha) acaba apanhando sem parar da professor, isso mostra uma forma desnecessária da superioridade do bem contra o mal. Akane pode ser mais forte que Sadako (como vemos em várias cenas), mas isso também é terrivelmente mal feito: ela grita e pronto, tudo resolvido. As coisas só vão melhorar na perseguição propriamente dita onde Akane mostra ser alguém inteligente e que sabe "agir na hora do aperto", fazendo com que quem assiste se empolgue com sua peripécia. 
As cenas das mortes poderiam ser bem melhores, apesar de ter o elemento surpresa, ele não causa susto, na realidade se uma cena de todo o filme assustar ou até mesmo causar horror de verdade, é muito. 
O ponto alto da história é a cena em que Akane e Sadako ficam frente a frente, nessa parte vemos Sadako deixar de ser uma vilã cruel para ser uma pessoa que foi vítima das circunstâncias, ou seja, só fez o que fez porque todos ficaram assustados com seu poder e ninguém lhe estendeu a mão, isso forma um conflito com o fato de Akane ser totalmente o oposto pois Takanori ficou do lado dela quando todos ficaram com medo de seu poder, justificando a fala de Sadako "você e eu somos iguais" e, consequentemente, o motivo de Akane ter sido escolhida para abrigá-la. 
O filme chega ao seu fim Sadako alcançando o objetivo mas isso deixa um ponto de interrogação no ar: o que Sadako fará de agora em diante? Das duas uma: ou ela pode realmente erradicar a humanidade ou apenas viverá como humana. Isso só descobriremos se a franquia continuar.
Em suma, apesar do fato do filme poderia ser melhorado e não ter pecado tanto em cenas importantes, o filme é bom, especialmente na história e vale a pena ser assistido.


Download (legendado em inglês)

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Snow White: A Tale Of Terror (Floresta negra)


"Era uma vez uma linda princesinha chamada Branca de Neve........" não tem lugar nesse filme que é considerado o mais fiel ao original. Estamos na época das cruzadas acompanhando um nobre que viaja com a esposa e que, após um acidente causado por lobos, acaba tendo que sacrificar sua esposa, que ficou gravemente ferida, para tirar a filha que estava pronta para nascer.
Passaram-se alguns anos e então conhecemos Lilliana, a doce e travessa filha do nobre. Como a maioria das crianças, Lilliana não se afeiçoou à bela noiva de seu pai, a bela Lady Claudia, uma mulher com uma vaidade incontrolável e que tenta chamar a atenção de todos para si.
Com Lilliana já crescida o ódio entre as duas aumenta e Claudia que dia após dia vai se tornando cada vez mais insana por influência de um espelho que ela diz ter pertencido à sua mãe ordena que a jovem seja assassinada, no entanto ela consegue fugir e encontra sete mineradores que acabam tornando-se seus amigos.
Ao saber que a enteada ainda está viva, Claudia começa a usar da magia negra para se livrar dela e, com as falhas, a feiticeira chega ao ponto de sacrificar a beleza que tanto preza para poder vencer, transforma-se em uma velha e a envenena com uma maçã. Os mineradores preparam um belo esquife para Lilliana ser enterrada mas ela acorda e, após se despedir dos amigos, ela volta ao castelo para poder dar um fim nas maldades de sua madrasta.

terça-feira, 4 de setembro de 2012

20 anos

Há 20 anos minha mãe estava com a filha que tanto queria no colo, ela sabia que era menina mesmo que o próprio exame dizia que era menino.Essa filha sou eu, que recebi o nome Jéssica que ela queria dar à filha desde que era jovem...
A partir daí muitas coisas se passaram, conheci o bullying, o sofrimento e isolamento que ele traz mas pouco a pouco fui conhecendo também a amizade e a fé... aos poucos fui percebendo que sou capaz de ser feliz, que sou capaz de ser uma boa filha, uma boa amiga, enfim, uma boa pessoa e é com esse pensamento que estou iniciando essa nova fase: eu consigo.
Além de "eu quero ser forte" a frase que vai reger minha vida é "vou dar o meu melhor" e deixo aqui algumas metas:

* Me dedicar ao máximo (faculdade, dança do ventre, japonês...);
* Ser mais tolerante;
* Ser menos orgulhosa;
* Ser menos pessimista (me desligar dos traumas);
* Chegar aos 54 Kg;
* Ajudar mais em casa;

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

O mistério das duas irmãs (The Uninvited)

"Fiz exatamente o que me disse... eu terminei o que já tinha começado" (Anna)



Anna volta para casa após um tempo em um internato que foi levada quando a sua mãe foi morta em um incêndio e encontra tudo mudado. Rachel. namorada de seu pai e antiga enfermeira que cuidava da mãe doente, passou a controlar e mudar a casa, para o desagrado da enteada que gostaria de encontrar tudo como estava na época de sua mãe.
Anna logo encontra sua irmã, Alex, uma garota rebelde que, por alguma razão, é constantemente ignorada pela família e, por isso, costuma ficar afastada mas, com a chegada de Anna, as duas passam a ficar juntas boa parte do tempo.
Tudo parece bem mas um clima de mistério paira no ar, Anna sofre com aparições de sua mãe e de crianças que ela nunca viu. Além disso,  ninguém fala do incidente a não ser
Math, o antigo namorado de Anna que diz saber o que aconteceu no acidente pois seguiu Anna desde a festa onde estavam até a casa. 
Ele tenta contar a Anna o que aconteceu e marca um encontro em um rochedo dos arredores à noite mas, no horário marcado ele não aparece e ela começa a se preocupar. Na mesma noite Math aparece em seu quarto mas há algo estranho com ele. Está amedrontado e, quando ela o acariciou, percebeu que havia algo estranho com sua coluna. Assustada, ela sai correndo e o deixa em seu quarto.
Ela sabia que algo estava errado e a suspeita se confirma, Math é encontrado no mar com um ferimento na coluna e Anna acaba sendo considerada suspeita por ter marcado de se encontrar com ele. Abalada pelos acontecimentos,  ela tenta buscar socorro com Alex que no começo duvida mas depois acaba acreditando na irmã que acha que há algo muito errado.
Rachel se mostra uma mulher misteriosa e completamente ligada à sexualidade, querendo até mesmo influenciar sua enteada a se produzir um pouco mais. Ela carrega orgulhosamente um colar de pérolas de três voltas que afirma que ganhou de um enfermeiro mas Anna acredita que há algo mais e sua suspeita acaba se confirmando quando ela e Alex descobrem que Rachel não é o verdadeiro nome da enfermeira.
Rachel então começa a fechar o cerco para poder deixar encoberto seu passado e também o que ocorreu no incêndio que Anna pensa que não foi um simples acidente e sim um crime, algo feito por Rachel para tirar a mãe de Anna de seu caminho para que ela, então, pudesse ter o amante apenas para si.
As coisas parecem só piorar, Anna e Alex encontram no quarto de Rachel uma bolsinha com medicamentos fortes o bastante para drogar um cavalo e Anna descobre que as três crianças que ela vê são irmãos que foram brutalmente assassinados por uma jovem que estava apaixonada pelo pai deles e, após ver um colar de pérolas igual ao que Rachel carrega, começa a pensar que tem mais relação com os dois casos do que ela poderia imaginar e que ela e a irmã estão correndo grave perigo.
Anna e Alex decidem dar um fim àquela situação perigosa, pegar o colar e provar para a polícia que Rachel é, na verdade, uma mulher perigosa que precisa ser capturada antes que seja tarde. Com o grande risco de ser morta por Rachel e com Alex drogada e incapaz de ajudar, Anna corre à polícia conta a sua descoberta ao polícial local que parece lembrar do caso dos irmãos assassinados mas ele a entrega para Rachel que, por fim, droga Anna e, sem que ela pudesse fazer qualquer coisa para se defender, a enfermeira parece se preparar para mais uma "operação", no entanto algo acontece que vai provar que nem tudo é o que parecia ser.



sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Citação dos professores

Novidade no blog! Inauguro agora um novo marcador que vai reunir as minhas aventuras na faculdade. Começando pelas "Citações de professores", ou seja, uma página (essa) onde eu vou colocar aquelas falas de professores que fazem os alunos rir ou algo assim, enfim, frases marcantes.
Vou preencher a página a cada fim de semana, quem sabe um dia fazer um livrinho de pensamentos, hahaha.
Por enquanto, fiquem com o blog e divirtam-se! :) 



"Não se aprende fonética com o manual do escoteiro." (Cagliari, 2012)

"Uma parada em Minas Gerais, 2 horas da manhã e desce uma criatura toda engravatada e pergunta "Há café?"" (Angélica)
- Depois de meia hora, a Mari nota (descobriu a América) e "Há como verbo haver, tinha pensado que era artigo"

"Uma pessoa de 70 anos vai falar da forma que falava quando tinha 50 anos, façam as contas" *silêncio mortal* 

"Pessoas de 70 anos já tão com o pé na cova" (Angélica) -> que dó, meu! é tragico mas eu ri.

"Eu prefiro ser desconhecida do que ser famosa por ser idiota em cadeia nacional." (Fargetti, 2012)

"Por causa de Os Sertões as pessoas falam Grandes Sertões Veredas mas, pelo amor de Deus, não vão me fazer passar vergonha, é Grande Sertão Veredas"
(Leonel, 2012)
 
"Até no frio a criança é batizada com água na cabeça, acho uma judiação."
(Zaga, 2012)

"Não é nenhum mistério" *pausa dramática* "Ou é, não sei..." (Zaga, 2012, sobre "O Burrinho Pedrês")

"...vocês podem provar, isto é, se tiverem fígado, com as novelas de televisão" (Zaga, 2012)

"Aquele melodrama açucarado. Com açúcar empedrado, inclusive."
(Zaga, 2012)

"A boca é a porta da bobagem" *Pausa dramática* "E não adianta que vamos viver essa bobagem a vida inteira" (Zaga, 2012)

"A Cinderela que não poderia chegar perto do fuso, não é?" (Gobbi, 2012)

"Vocês leram Kafka comigo... sem-migo também..." (Zaga, 2012)

"Ele e os irmãos foram trabalhar na loja do Bom Retiro como todo libanês..."(Zaga, 2012)

"Eu não estou me vangloriando 'eu conheci o homem e a obra'"(Zaga, 2012)

"Quando a gente reclama de uma literatura xoxa... e essa xoxidão [...]"(Zaga, 2012)

2° semestre

"Agora vocês como alunos de 2° ano, quase de 3° se eu permitir..." (Santini, 2012)

"Agora vamos ver como vamos nos divertir neste semestre." (Santini, 2012)

"Desliguem o celular, por favor, eu não vou passar arquivos por bluetooth. Celular é meio inútil em minha aula, vocês sabem." (Santini,2012.)

"Essa é a parte basilar da nossa disciplina. Basilar que não é macarrão. Gosto muito de macarrão mas não de Jaboticabal. Vocês sabem que a fábrica é lá? Tem alguém de Jaboticabal aqui? Não? ... Tudo inútil" (Santini, 2012)

"Vou acabar forçando vocês a ler toda a bibliografia básica porque vai que vocês tem a sorte de serem sorteados e não leram justo o tema da pergunta?!" (Santini,2012)

"Não tenho condições de escanear o Macunaíma, se não vou fazer mais nada na minha vida."(Santini, 2012)

"Não copiem da internet porque eu conheço a bibliografia. A não ser que vocês tenham escrito tese de doutorado antes da faculdade..."(Santini, 2012)

"Que mais? Festival de infer... inferno não, inverno rolando no SESC." (Santini, 2012)

Professora para a chamada e: "E por favor, não vão para a festa de Barretos, não me deem este desgosto!" (Santini, 2012)

"Um só método de análise sintática parece que ou a pessoa nasceu iluminada com a capacidade de fazer essa análise ou nunca vai aprender."
(Angélica, 2012)

*celular de uma pessoa aleatória toca na sala * "Diz que eu não tô..." (Angélica, 2012)

"Quem está angustiado, não se preocupe, porque não vai melhorar. Linguística É a angústia."
(Gladis, 2012) -> tão animador. ahhahuauhuahuhauahuahu


"Eu não tinha TV a cabo até 2 meses atrás, eu só tinha Globo, SBT e Record... quando não ventava. Mas agora eu não consigo mais me separar do Fantástico, mas já conversei sobre isso com meu analista" (SANTINI, Juliana. 2012).

"O dândi (...) tem um aspecto demoníaco. Ele tem um bigodinho de satã e esse cavanhaque de bode..." (Renata, 2012)

"Eu li esse livro ontem tomando sorvete no shopping, mas não era sorvete de gente, era sorvete de massa. Não era sorvete antropofágico." (Santini, 2012)

"Ela usa a forma deformada... 'a forma deformada' é ótimo"(Santini, 2012)

"Quando Macunaíma vai brincar, ele vai fazer sexo. Quando ele vai pra rede brincar, coisa boa não vai ter... ou melhor... deixa pra lá..." (Santini, 2012)

"Eu venho de um povo que pegou na enxada, vou saber da nobreza? Eu vi a Sua Majestade nas Olimpíadas de Londres "quando isso vai acabar??" Salto triplo não é pra uma rainha mas ela gostou de ficar com o artista, James Bond... safada ela!" (Zaga, 2012)

"... nós sabemos fazer jiló e muito bem" (Zaga, 2012) WTF?!

"O mundo de perna pro alto e o nosso projeto econônico é tirar o ITP do tanquinho de lavar roupa e do automóvel."

"A poesia 'o beijo' trata de um beijo outro... não um beijo na boca... um outro beijo, que não vou falar agora." (Pires, 2012)

"(...) tem a Gabriela Cravo e Canela, esssa novelinha de novo passando..." (Pires, 2012)


"O que vocês acham de 'Skol, a cerveja que desce redondo'?... Chomsky não pensou nessa sentença." (del Ré, 2012)

"(...) não sabia nada de francês.  Doida, não? Fui para a França sem saber uma palavra..." (del Ré, 2012)

"(...) Tem um professor que eu conheço que é piagetiano roxo..." (del Ré, 2012)

"Na minha época a gente falava 'Baktrim' em vez de Bakhtim mas caiu em desuso depois..."(Santini, 2012)

"Quando o romance não tem profundidade vira Paulo Coelho, vira Crepúsculo e vampiro azul..." (Santini, 2012)/eurialto

"Abril Despedaçado tem o Rodrigo Santoro sem camisa suando (...) brincadeira tosca pra vocês assistirem o filme (Santini, 2012).

"É um casal lindo e perfeito que o qualquer comercial de 2012 adoraria veicular. Ele lindo e gostoso, ela linda e gostosa..." (Tom Pires, 2012)

"[...] a cachaça que vocês conhecem tão bem, mais do que rapadura e carne seca." (Santini, 2012)

"[...] a música sertaneja. Estou falando de música sertaneja do sertão e não de Paula Fernandes." (Santini, 2012)

"Prestem atenção na análise narratológica genetiana que estou fazendo com 'O Fantástico Mundo de Boby". (Santini, 2012)

"Eu quero mostrar para a minha sobrinha que a vida é mais do que 'tchu e tchá'." (Santini, 2012)

"o gato (...) para sempre na metade, demonstra toda a sua preguiça e depois termina o dia lambendo a barriga." (Santini, 2012)

"(...) e foi lançado em disco, agora CD e quem sabe arquivo MP3..." (Santini, 2012)

"E uma versão karaokê pra criança cantar *Professora vem um pouco pra frente com o microfone na mão * Não, eu não vou cantar" (Santini, 2012)

"Ele amava ver por baixo das saias das criadas como todo menino sapeca, sapeca... palavra antiga essa..." (Santini, 2012)


* a caixa de som faz um som bizarro * "... Depois dessa interrupção, dessa voz do além... Falando de Púchkin, na literatura russa sempre tem um traço de fantástico e de fantasmas... outros colegas tem várias histórias de acontecimentos..." (Ramos, Mario. Participação especial de)

(10:49) "Vocês estão liberados" (Pausa dramática) "Brincadeira" (Daniel, 2012)

"Deixa eu pegar um exemplo aqui... Tô cansada de cantava" (Daniel, 2012)

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Taiyou no Uta (Canção do sol)

"Sempre achei que o Sol era injusto comigo. O Sol roubou o dia de mim 
e também apaga a imagem da lua no céu noturno. Mas o Sol continua a iluminar 
perfeitamente a única luz, para eu reencontrar única importante.
E seguir meu último caminho..." (Amane Kaoru)

Amane Kaoru é uma garota que portadora de uma doença rara no sangue que a impede de se expor à luz solar (XP) e sonha em ser cantora. Ela acabou de perder a seletiva de um concurso e recebeu um comentário na carta de rejeição "Você já amou alguém de todo o coração?".
Sua paixão pela música nasceu após recolher o violão que foi deixado por um garoto no lixo e aprender a tocar e encontra assim sua alegria.
O violão pertencia a Kouji, um rapaz sem perspectivas para o futuro que ela conhece através do garoto que sua amiga e única conexão com o dia, Misaki, começa a namorar. 
Ele logo toma conhecimento da doença de Kaoru e começa a ajudá-la, ficando ao lado dela mesmo quando ela mesma desiste de si. Quando Kaoru perde o movimento da mão e é obrigada a deixar de tocar violão ele, mesmo tendo jurado para si que nunca mais tocaria, volta a tocar para acompanhá-la. 
Esse juramento tem relação com a cantora "de uma só música" Asami que estava no mesmo orfanato que Kouji e tornou-se cantora após ser adotada enquanto Kouji foi para uma instituição para menores infratores por ter se envolvido em uma briga que teve alguma relação com Asami.
Com a convivência, Kouji começa a se encantar com Kaoru e toma por objetivo realizar o sonho da garota de se tornar cantora porém, os problemas começam a aparecer quando ele fica sabendo que ela vai ser usada como "escritora fantasma", ou seja, suas letras seriam cantadas por Asami enquanto Kaoru ficaria no anonimato.
Kaoru  várias vezes vê sua doença como limite para o seu sonho, chegando a decidir várias vezes que não cantaria mais mas seus amigos se juntam a Kouji para convencê-la não só a voltar a tocar como fazer um show ao vivo na praça onde ela tocava sozinha.
Ao mesmo tempo que Asami enfrenta o drama da rejeição de suas novas letras Kaoru vê o mundo expandir à sua frente quando seus novos amigos planejam, mesmo sem saber tocar instrumentos, a montar uma banda com Kaoru como vocalista para um festival que aconteceria no mês seguinte. O nome escolhido para a banda foi o "apelido" dos portadores de XP que, por poderem sair apenas à noite, são chamados de "Moonchild".
Um problema acontece e Kouji acaba se afastando do grupo enquanto o restante se esforça para aprender a tocar as músicas de Kaoru e Asami aproveita para tentar se aproximar de Kouji, pedindo para que ele fugisse com ele e voltassem ao passado. Mas Kaoru estava no futuro e Kouji acaba deixando Asami para trás para que pudesse estar ao lado dela, tendo um belo momento da banda recém formada no palco e Kaoru brilhando.
Logo recebem uma proposta para estrear mas Kaoru sabe que pode falecer logo e acaba recusando mas, com a ajuda dos amigos, acaba resolvendo correr atrás de seu sonho. Porém um novo desafio surge: a doença progride e Kaoru começa a ter crises de tosses que podem matá-la e, para prolongar um pouco mais sua vida, ela teria que fazer uma cirurgia que afetaria suas cordas vocais. Ela fica diante de dois caminhos que, independente do qual for escolhido, mudará sua vida drasticamente: se ela optar pelo sonho, sua vida não durará e se ela optar pela vida, perderá a chance de realizar o sonho.


sábado, 14 de julho de 2012

Get Backers

"Eles possuem 100% de sucesso mas, não têm sorte com dinheiro..."


Midou Ban e Amano Ginji são dois amigos que formam um grupo de recuperação, Get Backers. Mesmo tendo sucesso nas mais variadas missões que aceitam, eles não têm sorte com dinheiro e por isso vivem endividados, o que gera cenas até mesmo cômicas onde os dois veem seu amado fusquinha sendo levado, além de correrem desesperados em busca de dinheiro ou até mesmo se meterem em roubadas por causa de dinheiro fácil como no caso de recuperação da platina (que não é exatamente a platina).
Para auxiliar nos serviços, a dupla conta com poderes como o Jagan de Ban, que faz com que as pessoas que cruzarem com seus olhos mergulhem em um visões que duram um minuto, o Snake Bite, também de Ban onde ele tem um poderoso poder de esmagamento. Amano Ginji tem o poder de conduzir eletricidade, o que lhe rendeu o codinome de Imperador Relâmpago em seu antigo lar, o Mugenjou, um lugar com próprias leis. 
Além de casos individuais, os Get Backers várias vezes precisam unir forças com seus inimigos e antigos companheiros de Ginji, o que novamente dá o teor engraçado por conta das discussões que acabam surgindo e também quebrando a rotina do anime.
Sem entrar muito em detalhes e nem dar tanto minha opinião (farei uma resenha futuramente), Get Backers é um ótimo anime para quem gosta de ação misturada à temas que nos fazem pensar. Vale a pena ser assistido!

segunda-feira, 4 de junho de 2012

APT

 Quem já viu o clipe "Chizuru" da banda the GazettE notou que há cenas "estranhas" de um filme que parece ser de terror. Há alguns anos fui procurar e descobri que era de um filme coreano chamado APT que realmente era de terror e, na minha opinião, é um dos melhores.


 "Você acha que o rancor pode desaparecer tão facilmente?" 


Sae-Jin, uma moradora solitária de um conjunto de apartamentos do subúrbio se envolve em um caso de suicídio onde uma mulher estranha, após perguntar "Você não se sente solitária?" se atira em frente a um metrô, tentando levá-la junto consigo. 
Ela mal sabia que esse acontecimento mudaria radicalmente sua vida. A mulher que ela deixou de salvar começa a frequentar o prédio. 
Paralelamente a esse acontecimento, Sae-Jin começa a perceber que o edifício não é tão pacífico quanto ela imaginava: todo dia, exatamente às 21:56 as luzes de um dos apartamentos começam a piscar e então ocorre um suicídio.
Desesperada, Sae-Jin começa a observar os moradores e tenta avisá-los para que não apaguem as luzes naquela hora, porém, além de não acreditarem, começa a ser acusada por eles e ameaçada pelos policiais. 
Sae-Jin conhece por acaso uma cadeirante órfã chamada Yo-Yeon que mora em frente ao seu apartamento. Depois da morte dos pais, a garota começa a receber o auxílio dos outros moradores que passavam a ser dividir em turnos, porém, com o tempo, a bondade se tornou indiferença e então a cadeirante, sem poder se defender, passa a sofrer vários tipos de abusos. 
Investigando aqueles suicídios, Sae-Jin e os policiais que antes duvidavam dela, descobrem que os mortos sempre carregam uma cópia da chave de entrada de um apartamento.
Qual é a relação entre esses moradores, a orfã abusada e a mulher que se suicidou no metrô? Será que há um jeito de parar esses suicídios tão incomuns ou o rancor de alguém que foi abandonado pelo mundo pode durar para sempre? 





                                                                    Um olhar sobre APT                                                                   

O clichê oriental de fantasmas com cabelos na face ganha um toque a mais que faz com suas aparições deixem as pessoas de cabelo em pé: um barulho que lembra ligeiramente um estilete e um jeito de andar assustador. 
Não esperem muito dos efeitos especiais típicos dos remakes americanos, os de APT deixam a desejar, fazendo com que uma das mortes principais sejam tratadas quase como uma piada. 
O timing de aparições da moça que morreu no metrô é muito bom, muitas das vezes que ela aparece não podem ser previstas, o que se torna um prato cheio para pulos e gritos. 
A história do filme é muito boa, vai acabar tratando de várias situações que podem acontecer na vida das pessoas e, especialmente, como as pessoas que poderiam ajudar alguém em dificuldade cruzam os braços e as consequências disso. Consequentemente, nos faz pensar sobre nossas próprias vidas e no que estamos fazendo com ela e com as pessoas que surgem.
O final "indefinido" deixa o filme aberto à respostas para uma questão deixada pelo detetive: "Você acha que o rancor pode desaparecer tão facilmente?". 
Em suma, o filme é muito bom e vale a pena ser assistido. Sempre que tenho oportunidade assisto e nunca deixo de me assustar, sempre tenho aquela sensação de calafrio como se tivesse alguém atrás de mim. 

segunda-feira, 28 de maio de 2012

"Do mais puro e branco mármore, meu último presente para você"

 
Era o fim de uma madrugada fria, o Sol ainda não havia apontado no horizonte e o pequeno vilarejo ainda estava adormecido. Tudo ali parecia tomar para si a dor do rapaz que caminhava por sobre a grama baixa. O orvalho, lágrimas das plantas que zelavam pela morte, rolava por entre as folhas até cair na terra. O céu estava cinzento, quase branco e a neblina se estendia, cobrindo seus pés e as lápides pelas quais ele passava lentamente, em passos hesitantes.
Os belos anjos que rodeavam as primeiras lápides pareciam incapazes de chegar até o lugar que ele deixava para trás. A última lápide, recém-construída quase encostada no muro, parecia tão solitária e esquecida. Aquele era o último leito de alguém que há poucos dias lhe sorria. Cruelmente fora deixada em um lugar onde não havia sequer uma cruz, apenas a terra que cobriu seu mais precioso tesouro. A relva ainda não havia crescido por sobre o local, só a saudade dele crescia.
Em sua casa vazia, sentado, sem forças, tinha certeza que sem o amor de sua vida, nada lhe faria sentir-se vivo, e seu único desejo naquele momento era ficar deitado eternamente junto à amada, abraçando seu corpo frio até que, por fim, aqueles corpos unidos fossem consumidos. No entanto, precisava se conformar, afinal aquele era um desejo impossível, ainda estava vivo, ainda sentia seu coração bater dolorosamente e sabia que cada batida dele afastava do coração inerte de sua amada.
Deixando ali todo seu anseio e saudade, iniciou um novo trabalho, do qual necessitava toda a atenção e cuidado: esculpir no melhor mármore que havia encontrado e comprado com toda a sua economia que havia guardado para comprar belas alianças para então poder casar-se com aquela que sabia que era o único amor de sua vida.
O escultor fazia aquela que seria sua obra prima com ardor. Do mais puro mármore ia esculpindo cada parte do corpo feminino com tamanha delicadeza e cuidado que lhe fazia pensar que mais uma vez estava acariciando sua amada. Logo ia surgindo a forma de ombros, braços e mãos, pequenas e delicadas, perfeitamente iguais àquelas que muitas vezes seguravam as suas e o guiavam. A túnica que, com tanto cuidado esculpia, ía vestindo o alvo e gélido mármore que tomava a forma da morta que tanto amava.
  Tamanha dedicação ia tirando daquele apaixonado artista toda a sua energia, tinha fome, porém, não podia simplesmente deixar sozinha ali aquela que era a razão de sua existência, tampouco tinha dinheiro para poder se alimentar. Contemplava por um breve momento a estátua quase completamente concluída e, por fim, com todo o cuidado como se acarinhasse o rosto de sua amada, finalizou os lábios que agora tinham a serenidade poderia pertencer apenas a um anjo, o anjo que sabia que ela era agora.
Feliz com seu trabalho, não pode deixar de sorrir. Agora a moça a quem pertencia o coração estava eternizada através de sua obra. Ele, por fim, respirou fundo, o som da chuva trazendo a voz de sua amada aos seus ouvidos e, embalado por aquele som, que não sabia mais se era apenas a chuva batendo no telhado ou uma canção que só ele ouvia e que o chamava para dormir. Tomado por aquela sensação de paz, fechava os olhos que nunca mais se abririam outra vez. Havia dado a vida por aquela estátua sentada em sua frente que oferecia seus joelhos para o repouso da cabeça daquele homem apaixonado.
Naquela casa, deitada cama que ali havia, o corpo gélido da jovem musa repousava, parecia impassível a tudo aquilo, como a estátua de mármore que agora tinha a sua forma. Ela não podia sequer chorar pelo sacrifício de quem tanto amou. A chuva então, misericordiosa de sua dor, derramou através da pequena falha do telhado uma gota que caiu no olho cerrado da jovem, rolando por aquele rosto sem vida até morrer nos lábios esbranquiçados entreabertos que, mesmo na morte, pediam por mais um beijo.  

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Chakushin Ari (Uma Chamada Perdida)

Vários jovens recebem, um após o outro, uma ligação com o próprio número de celular. Na tela do celular está indicando que há uma chamada perdida, com dia e horário futuros. A mensagem deixada, contém a própria voz em um momento de agonia e morte e, no mesmo dia e hora que indicava no celular, um a um começam a sofrer mortes horríveis. 
Yumi, uma jornalista (sempre tem jornalistas em histórias de terror japonesas. >.<) que foi transferida recentemente para outro jornal que está a beira da falência, testemunha uma destas mortes e, a pedido do superintendente de homicídios Sendo, começa a investigar e descobre que o que presenciou não foi um simples acaso e que muitas tragédias estariam por vir.
Essas tragédias tem algo estranho em comum: os mortos sempre tem uma rosa marcada na mão e todos os jovens são filhos de antigos universitários que ficaram presos por dias em uma montanha e a desaparecimentos de quase toda uma família e de uma estudante que há dez anos recebeu uma rosa vermelha indicando que ela fora escolhida como sacrifício, devendo ficar uma noite na escola e, se essa regra fosse quebrada, um desastre poderia acontecer.
Agora, duas garotas recebem rosas e, dentre elas, uma se mostra cínica e fria, isolada dos outros colegas e ao seu redor várias coisas estranhas começam a acontecer. Além dos filhos, seus pais também começam a ser vítimas da mesma maldição e todos demonstram ter algum segredo, um pecado que agora os assombra e que, se ne não for reparado de alguma forma, mais e mais mortes irão ocorrer.

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Promoções!

Pessoas, vou fazer um post exclusivo para promoções que estou participando e sempre editar quando surgir novas.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -


Sorteio de vários brindes, um mais lindo que o outro. Participem aqui!

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

sábado, 28 de abril de 2012

Cartas para Julieta

"'E' e 'se' são duas palavras  tão inofensivas quanto qualquer outra. 
Mas coloque lado a lado e elas terão o poder de assombrá-la pelo resto da vida."


A cidade de Verona, palco da mais comovente história de amor de todos os tempos atrai centenas de pessoas por dia, em especial à casa de Julieta. Em busca de uma história, a jovem jornalista Sophie viaja para a cidade junto com seu noivo, o desligado Victor. 
Ao chegar na casa de Julieta ela nota que várias mulheres deixam pregadas no muro cartas para ela, perguntando sobre diversos assuntos e, mais tarde, ela vê uma mulher chegar e levar todas as cartas em uma cesta.
Ao seguí-la, ela encontra diversas mulheres que são chamadas de "Secretárias de Julieta", cada uma delas responsável por um assunto.
Quando retorna ao local, ela sem querer descobre uma carta muito antiga, de cinquenta anos atrás, que estava dentro do muro, e escreve a resposta. 
A carta foi escrita por Clarie, uma idosa que, motivada pelo que a carta que recebeu dizia, viaja a Verona com o neto, o cético Charlie, e começa a procurar seu amado de anos atrás. Enquanto Victor vai procurando inspiração para o restaurante que vai abrir, Sophie se junta a eles, certa de que a história de amor que está presenciando será o tema que tanto esperava encontrar para escrever.
Eles vão percebendo que encontrar essa pessoa é mais difícil que eles pensavam mas, quando a esperança estava desaparecendo do coração de Clarie, ele aparece.
Enquanto Sophie vai ajudando sua nova amiga, vai se deparando com um novo romance que vai trazer para seu coração um amor diferente do que ela conhecia até então. No entanto, ela vai ter que tomar uma decisão e fazer uma escolha que pode mudar sua vida drasticamente.

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Dicas: Aprendizado e Site!

Uma das melhores e mais divertidas formas de se aprender um idioma é através das músicas. Atualmente estou copiando as letras de músicas em japonês pela internet e em seguida fazendo um vocabulário com os kanjis. Funciona mesmo, além disso, quem escreve acaba decorando a letra com mais facilidade. Já escrevi três músicas (Konayuki, Miseinen e Brave Heart) e já estou tendo grande facilidade na memorização de palavras em hiragana e os kanjis que eu escrevo estão saindo com uma caligrafia boa.
Partindo dessa ideia tenho mais uma dica de memorização para você: Pegue papéis, inclusive pedaços dos que já foram usados e faça cartões (kanji-hiragana-tradução) e vá passando por eles quando não tiver nada para fazer. Além disso, seria bom pegar alguns kanjis por semana (quem tiver mais tempo livre deve fazer mais vezes, claro) e tente decorar.
Você deve estar se perguntando como encontrar músicas japonesas pela internet que não sejam em romaji, eu me perguntava também antes de encontrar por acaso um site ótimo chamado Anime Lyrics que não só tem a letra de música em romaji e a tradução (em inglês), tem kanjis e, colocando o mouse sobre eles você poderá ver o kanji ampliado, como se lê e o significado (em inglês).

Site: aqui

segunda-feira, 23 de abril de 2012

O Milagre (Nicholas Sparks)

"Havia a ciência e havia o inexplicável, e Jeremy passara a vida tentando conciliar os dois." 

Jeremy Marsh, um respeitado jornalista cuja especialidade é desmistificar o sobrenatural é enviado para Boone Creck, uma pequena cidade da Carolina do Norte para investigar o fenômeno de luzes que acontece à noite no cemitério local, que está afundando.
Em sua primeira visita ao local conhece Lexie, uma misteriosa bibliotecária órfã cuja vida amorosa não foi das melhores. Jeremy também tem uma história amorosa dolorosa, o que faz com que atualmente suas relações não passem de uma noite.
Lexie aparenta não confiar em homens e decidida a não deixar os flertes daquele sedutor nova-iorquiano. No entanto, ambos vão perceber que estão muito mais envolvidos que a busca da solução do mistério.
Apesar do sentimento que vai nascendo, Jeremy é um homem da cidade grande e chegou em Boone Creck já com a intenção de ir embora o mais rápido possível e Lexie está decidida a passar o resto de seus dias naquela cidade do interior. 
Eles tem vários desafios pela frente que podem abalar a certeza de Jeremy de que não existem milagres e tudo pode ser justificado pela ciência, incluindo um segredo pessoal que ele possui.

sábado, 21 de abril de 2012

Akai Ito

"Por mais que nos separemos, sempre haverá um 
significado para termos nos encontrado."


No dia 29 de fevereiro, Mei, que completava oito anos naquele dia incomum, foi à confeitaria encomendar um bolo junto com a mãe e, quando saiu, esbarrou em um garoto que andava de bicicleta. 
Mal sabia ela que aquele garoto, que também fazia aniversário naquele dia, tinha uma ligação maior que a data de aniversário em comum.
Os dois se reencontraram já adolescentes como colegas de escola, Atsushi é morador de um templo que enfrenta problemas por causa da mãe dependente de drogas que está pela quarta vez em uma clínica de recuperação e Mei, uma garota que estava passando por uma decepção amorosa. 
Com a ajuda de Atsushi, ela vai entendendo que o destino é mais do que uma desculpa para ter uma história bonita. 
A amizade entre os dois vai crescendo até se tornar romance mas, conforme os dois vão se aproximando, vários desafios vão surgindo e Atsushi será atingido por toda a culpa de algo que ele não fez, a mãe de Mei que conhece a mãe dele vai pedir para ele terminar com a filha e os dois acabarão se distanciando.
Tempos depois o destino interfere e eles novamente se reencontram e, com o passar do tempo, os dois vão descobrindo da forma mais dolorosa, que se conhecem desde muito antes de terem oito anos.